23 de agosto de 2008

"Hellboy II: The Golden Army" por Nuno Reis

Hellboy é sempre uma mistura explosiva de humor e acção. Em BD e em filme estas personagens fantásticas já fascinaram milhões. Extra-terrestres, demónios e mutantes trabalham juntos numa agência governamental secreta, a BPRD. A missão deles é impedir que os humanos conheçam o mundo paranormal ou que sejam afectados por ele. Fazem-no com humor, com estilo e pela calada da noite. No primeiro filme enfrentaram Rasputin e os nazis. Neste segundo vão enfrentar criaturas imortais, fadas, elfos e trolls numa batalha que deveria ser de toda a Humanidade.

Como este é um filme de Guillermo del Toro falemos dos efeitos visuais. Mesmo sem a DDT ao lado esmerou-se e criou-nos mais alguns seres fantásticos. Para muitos vai ser uma desilusão porque não estão em destaque como no "El Laberinto del Fauno. São personagens secundárias brilhantemente criadas que não roubam o protagonismo a quem o merece. Este filme já tinha as suas estrelas definidas.

O trabalho em equipa do trio maravilha continua igual. Têm uma missão para cumprir e fazem-na como sempre. Abe detecta o perigo, Hellboy tenta a exterminação um a um e, se for preciso, Liz explode com tudo. Há um momento brilhante em que Hellboy e Abe mostram uma cumplicidade inesperada. A seriedade do Azul e a irreverência do Vermelho faziam-nos parecer opostos, mas havia uma camaradagem com décadas que nunca tinha sido mostrada ao público. A boa disposição transmitida nessa cena leva o filme para um novo patamar e marca o final das cenas de terror com que começou. A partir daí é só lamechices e acção.
O lado exibicionista de Hellboy continua bem patente, o que obriga Liz a colocar-lhe o eterno problema do amor, escolher entre ela e o mundo. Este filme é muito dedicado ao amor e o lado sentimental dos não-humanos está muito bem explorado. A relação entre Hellboy e Liz tem enorme importância porque este filme é uma história de amor entre indivíduos de espécies diferentes, mas iguais em espírito. Aqueles que por serem diferentes dos demais se devem manter juntos. A Abe, Liz e Hellboy juntam-se alguns mais, mas sem exagerar. Um aqui e outro ali, só para mostrar que estes três não são os únicos seres especiais, são muitos e estão sós.

Apesar de ser um filme que agrada a todos, quem não viu o primeiro vai perder o significado de alguns dos momentos. A falta que lhes faz o professor Broom (John Hurt dá um ar da sua graça na cena inicial) que o governo tenta compensar com Johann Krauss, a paixão de Hellboy pelos gatos, o complicado passado das personagens e o ainda mais complicado futuro da humanidade. Quanto ao passado há um texto introdutório a dizer que Hellboy foi encontrado e adoptado. Em relação ao futuro dão uma ajuda dizendo subliminarmente duas vezes "sequela imperdível" ao prometer o Apocalipse. Isso compensa toda a previsibilidade sentida neste filme.


Título Original: "Hellboy II: The Golden Army" (Alemanha, EUA, 2008)
Realização: Guillermo Del Toro
Argumento: Guillermo Del Toro e Mike Mignola
Intérpretes: Ron Perlman, Selma Blair, Doug Jones, Luke Goss, Anna Watson
Fotografia: Guillermo Navarro
Música: Danny Elfman
Género: Acção, Aventura, Fantasia
Duração: 120 min.
Sítio Oficial: http://www.hellboymovie.com/

Sem comentários: