29 de abril de 2012

"The Vow" por Nuno Reis

Há meia dúzia de anos apareceu nos cinemas a história de um homem que tinha de reconquistar a mulher dos seus sonhos todos os dias porque ela simplesmente se esquecia de tudo no momento em que adormecesse. Essa condição neurológica que causa amnésia recorrente é fictícia, mas a amnésia convencional pode constituir por si só um obstáculo às relações. Em 2012 a receita passou de comédia a drama por ser baseada numa história verídica. O casal mais feliz do mundo sofre um grave acidente. Enquanto ele tem uma recuperação normal, a ela é induzido o coma para que ocorra a regeneração natural. Ao acordar, os últimos cinco anos da vida foram esquecidos, o que inclui ter conhecido o marido, ter terminado um noivado, ter-se afastado da família. Enquanto Leo faz tudo para recuperar a sua mulher, Paige tem como prioridade saber quem é. Mas estará disposta a voltar a deixar para trás o conforto de quem foi?

Há alguns filmes que disponibilizam os primeiros minutos online como forma de cativar espectadores. Ainda bem que este não fez o mesmo pois tinha sérias hipóteses de conseguir salas vazias. Os primeiros três minutos bastam para descobrirmos tudo o que precisamos acerca destes dois pombinhos e para termos o choque da perda. Se o bilhete não estivesse já pago seria a altura ideal para sair. Assim deixamo-nos ficar mais um pouco nesta teia de sentimentos que nos envolve e aperta como um casulo, e só libertará depois de causar uma transformação. É quase impossível ficar indiferente a estas personagens. A identificação com a devoção incondicional de Leo, com o drama da felicidade interrompida, ou com as dúvidas que assolam Paige espalham-se pela plateia e cada um dos que assiste será apanhado por uma ou mais destas perigosas sensações.

Ninguém vai assistir a este filme sem contar que seja uma lamechice. Pelo tema, pelo poster e até pelos protagonistas faz pensar nas adaptações de Nicholas Sparks (mas aqui o autor é Stuart Sender, um produtor e documentarista) o que torna tudo ainda mais grave quando percebemos que voltamos a cair na mesma ratoeira de sempre. Rachel McAdams está constantemente a fazer filmes destes e parece ter aprimorado a técnica pois cada vez fica mais encantadora. Channing Tatum parece ter sido recuperado de uma má década passada e é uma estrela em ascensão nos filmes de acção, no romance e aparentemente na comédia como veremos dentro de dois meses com “21 Jump Street”. Estes dois juntos ou em separado conseguem com personagens bastante humanas que se esqueça tudo o resto, uma função que muitos filmes que tentam ser exclusivamente pipoca deixaram de ter. Depois tropeça nos pequenos detalhes o que o impede de ser memorável, mas para o seu público-alvo (casais, gente acabada de sair de uma relação ou com dúvidas existenciais) será um momento muito bem passado.

The VowTítulo Original: "The Vow" (Alemanha, Austrália, Brasil, EUA, França, Reino Unido, 2012)
Realização: Michael Sucsy
Argumento: Jason Katims, Abby Kohn, Stuart Sender, Marc Silverstein
Intérpretes: Channing Tatum, Rachem McAdams, Jessica Lange, Sam Neill, Scott Speedman
Música: Michael Brook, Rachel Portman
Fotografia: Rogier Stoffers
Género: Drama, Romance
Duração: 104 min.

Sem comentários: