10 de agosto de 2012

"Le Dernier Vol" por Nuno Reis

Hoje em dia aterrar em Marte parece fácil, mas se recuarmos um século, um mero voo intercontinental era tal aventura que podia perfeitamente acabar em tragédia. Nas décadas de 1920 e 1930, com imensos pilotos militares desocupados, muitos foram os homens e mulheres que se aventuraram. A ideia de fazer este filme surgiu inspirada na derradeira viagem de Bill Lancaster, um ex-piloto da RAF. Foi romantizada, afrancesada e um fracasso.

O filme é de 2009 (estreou originalmente na semana de Avatar) quando Marion Cotillard tinha acabado de ganhar um Oscar e qualquer coisa onde entrasse tinha potencial económico. Aqui correu muito mal, ao contrário de tudo o que se seguiu.
Lancaster pode ter sido o herói original, mas a versão francesa não ia enaltecer um inglês, por isso mudaram a mulher da vida dele para francesa de forma a poderem usar a actriz do momento e mudaram alguns factos para lhe dar o protagonismo.

1993, algures no Sahara francês. Um piloto inglês e o seu avião desapareceram e o exército francês no local está demasiado ocupado para o procurar devido a uns problemas diplomáticos com os tuaregues. Por isso a namorada dele, Marie Vallières de Beaumont, viaja no seu avião até lá para o procurar por conta própria. O tempo é essencial e Marie vai ter de enfrentar regulamentos, tempestades de areia e os complexos masculinos. Pelo meio vai-se começar a apaixonar por outro homem e perder motivação para a busca que a natureza também não ajuda a fazer.

O maior problema deste filme é o mesmo do deserto: é extenso, monótono e seco. Começa a ser recorrente a utilização do deserto para filmes sobre solidão e superação, escusavam é de se passar todos na mesma época. Não só o contexto histórico não é o melhor para captar um público jovem, como para os mais velhos vai parecer igual a tantos outros filmes melhores.
A história foca-se em Chauvet, soldado francês pacifista que defende o diálogo em condições muito adversas. A personalidade de Chauvet actua como uma máscara que esconde a tensão daquela época e local, forçando o espectador a procurar a emoção no desespero de Marie que nunca tem protagonismo suficiente para a proporcionar. Acabamos por nos sentir simples passageiros numa viagem onde estamos a mais e onde nem sequer queríamos estar.

Não se percebe a estreia tardia do filme, especialmente depois de o filme sobre a bem mais popular Amelia Eckhart ter voado directamente para mercado doméstico.

Le Dernier VolTítulo Original: "Le Dernier Vol" (França, 2009)
Realização: Karim Dridi
Argumento: Pascal Arnold, Karim Dridi, Rémi Waterhouse (livro de Sylvain Estibal)
Intérpretes: Marion Cotillard, Guillaume Canet, Guillaume Marquet
Música: Le Trio Joubran
Fotografia: Antoine Monod
Género: Drama
Duração: 98 min.
Sítio Oficial: http://lederniervol.gaumont.fr

Sem comentários: